Entenda como funciona o uso do Big Data na tomada de decisão

Home / Dicas de gestão / Entenda como funciona o uso do Big Data na tomada de decisão

Você sabe como funciona o Big Data? O termo se refere aos “grandes dados”, uma realidade atrelada à era digital, que possibilita a geração exponencial de informações.  Até 2020, serão 44 trilhões de gigabytes de dados disponíveis, volume dez vezes superior aos 4,4 trilhões de gigabytes registrados em 2013, segundo a International Data Corporation (IDC), consultoria especializada em inteligência de mercado.

No entanto, apenas 5% dessa quantidade é aproveitada. Ou seja, o conhecimento, principal elemento na tomada de decisões, é descartado na sua origem (os dados) todos os dias, simplesmente porque as empresas ainda não se mobilizaram para utilizar o Big Data a seu favor. Veja como sair na frente e explorar essa oportunidade.

Como funciona o Big Data?

Os dados são gerados o tempo todo. Cadastros, transações, pesquisas e toda forma de troca de informações alimentam o Big Data. Daí para a tomada de decisões na sua empresa é preciso estabelecer processos. Confira as etapas necessárias:

  • definição da apuração (o que você precisa saber);
  • captura de dados;
  • processamento (geração das informações);
  • validação.

Assim, tendo um ponto de partida, uma pergunta a ser respondida, define-se como e de onde os dados serão extraídos para que sejam analisados e transformados em informações. Só então é possível aplicar e testar os resultados.

Uma vez estabelecido esse processo de forma satisfatória, ele se retroalimentará automaticamente. É claro que para fazer tudo isso é necessário utilizar ferramentas adequadas, como sistemas de gestão.

O que são os 5 V’s do Big Data?

É possível descrever o Big Data com base na sua capacidade de lidar com dados a partir de 5 variáveis:

  1. Volume;
  2. Variedade;
  3. Velocidade;
  4. Veracidade;
  5. Valor.

Ou seja, o Big Data pressupõe a apuração de uma grande e diversa quantidade de dados gerados em tempo real. O tratamento desses dados requer um propósito claro e a checagem quanto à sua autenticidade e aplicabilidade.

Não se pode perder de vista que todo esse processo, também conhecido como business intelligence, só existe por uma razão: pelo valor que ele pode gerar para a sua empresa. Assim, é preciso que desde início o retorno a ser obtido esteja no foco das ações de captura e análise de dados.

De que forma os dados favorecem as decisões?

Empresas com capacidades analíticas avançadas têm duas vezes mais chances de estarem entre as empresas com melhores desempenhos financeiros, indica uma pesquisa realizada pela consultoria global de negócios Bain & Company.

São companhias cinco vezes mais propensas a tomar decisões mais rápidas do que seus concorrentes; possuem três vezes mais chances de executar tarefas conforme o planejado; e o dobro da probabilidade de usar dados na tomada de decisões.

O resultado não poderia ser outro: elas tendem a ficar entre as 25% empresas com os melhores resultados financeiros.

Afinal de contas, como essa tecnologia se converte em resultado financeiro? Imagine uma empresa varejista em que circulam diariamente mais de mil consumidores. Todos eles fazem escolhas relacionadas aos produtos.

Os dados a serem trabalhados são inúmeros: qual é o perfil do cliente? O que ele procura? Qual é a frequência de compra? Quais são os principais itens que ele consome? E a forma de pagamento? O que influencia sua decisão de compra?

A análise dos dados vai indicar melhores ações mercadológicas a serem adotadas para o negócio, quando investir em determinada mercadoria e em qual quantidade, só para citar questões do dia a dia.

Se o que está em jogo é a expansão da empresa, quais são as melhores estratégias com base no perfil de seus consumidores? Isso levará o gestor a definir qual é a melhor localidade para instalar uma filial ou o que pode fazer para melhorar as suas instalações, por exemplo.

É possível, ainda, analisar o orçamento com base no tratamento dos dados relativos às vendas, avaliar a estrutura de custos para realizar cortes nos gastos, capacidade de investimento, projeções de retorno dos investimento e de faturamento.

Na prática, a forma como funciona o Big Data varia de acordo com os propósitos da empresa. Fato é que não se pode mais abrir mão dos dados na tomada de decisões.

Gostou do conteúdo? Assine gratuitamente a nossa newsletter e receba mais informações sobre gestão de negócios!

Comentários(0)

Deixe um Comentário