O que é a curva ABC e por que usá-la?

Home / Dicas de gestão / O que é a curva ABC e por que usá-la?

A crise política e econômica que assola o país afeta naturalmente o comportamento do consumidor. É um momento importante de reduzir os custos da empresa para se salvaguardar dos imprevistos. Desta forma, o cuidado com a gestão de estoques é essencial, assim como entender o que é a curva ABC e como ela funciona.

A gestão de estoques é uma atividade primordial para a saúde financeira de qualquer organização. No entanto, quando pensamos em pequenas e médias empresas, torna-se ainda mais relevante — dado que possuem menos ativos. Frequentemente, as ações voltadas ao controle de estoque são negligenciadas.

O estoque é naturalmente acompanhado pelo gestor do negócio, sem aplicação técnica e conhecimento básico, necessários para alcançar os melhores resultados. Esse gerenciamento tem ligação direta com o seu fluxo de caixa. Por isso, os empreendedores têm se desdobrado diariamente para administrar seu capital de giro, a fim de garantir as contas em dia.

Se quer aprender mais como fazer uma boa utilização de seus recursos com a técnica da curva ABC, continue lendo o post. Boa leitura!

O que é a curva ABC?

A curva ABC é um desdobramento de um diagrama desenvolvido pelo italiano Vilfredo Pareto, no final do século XIX. Formado em Economia, foi através de seus estudos e observações que descobriu o fato de 80% da riqueza do país estar concentrada nas mãos de apenas 20% da população. Através desta informação, estudiosos ligados à administração e qualidade ampliaram o conceito.

Como funciona

Na gestão de estoques, a curva ABC consiste em categorizar o mix de produtos em seu depósito. Você pode aplicar o que essa ferramenta oferece, como informações sobre giro de estoque e/ou relevância. Seus estoques são divididos em 3 classes: A, B e C.

  • Classe A: tem maior peso para o negócio. É composta por aproximadamente 15% a 20% dos itens, entretanto compõe cerca de 75% a 80% do giro ou receitas;
  • Classe B: tem importância moderada. Formada por 20% a 30% do mix de produtos, e responde por 15% a 20% do giro ou receitas;
  • Classe C: tem menor peso. No entanto responde por 50% a 60% das mercadorias. Modestamente, 5% a 10% do giro ou receitas.

Como adotar o método e obter resultados

Comece fazendo um levantamento de todos os itens do estoque. É recomendável a realização de um inventário geral. A partir daí, tabule os dados de forma decrescente. Com o apoio de uma planilha ou software, atribua o peso daquele item dividindo o valor do item pela soma de todos os valores obtidos. Por meio disso, você conseguirá classificar em A, B e C.

De posse dos dados, o empreendedor poderá adotar diferentes estratégias para cada grupo de produto. Gerencie para que os estoques se aproximem da demanda e se tornem coerentes. Você pode planejar as compras dos itens A de forma semestral ou anual, por exemplo — esse grupo de fornecedores devem ser parceiros mais próximos. Itens C podem ser associados a promoções, quando o cliente compra um item A. Avalie se na classe B existem produtos com potencial para se transformar em classe A.

Agora que você já aprendeu o que é a curva ABC e como ela é importante para o seu negócio, não deixe de conferir também 4 dicas para ter mais controle de distribuição na sua empresa!

Comentários(0)

Deixe um Comentário