Relatórios gerenciais: qual a sua importância na tomada de decisão?

Home / Dicas de gestão / Relatórios gerenciais: qual a sua importância na tomada de decisão?

As pequenas e médias empresas enfrentam um horizonte desafiador: elas precisam estabelecer sua posição no mercado, a fim de consolidar suas operações. Nesse contexto, o empreendedor se depara com poucos recursos e tem de tomar decisões certeiras, diariamente. Para ajudá-lo durante o processo, é possível contar com o apoio de relatórios gerenciais. Você sabe o que é isso?

Os relatórios gerenciais têm a função de dar suporte ao gestor em seu julgamento, de modo a diminuir os riscos inerentes a qualquer processo decisório. Já que as incertezas são presentes na rotina do empreendedor, utilizar um software ou planilha para elaboração e desenvolvimento dos relatórios é bastante pertinente.

Ficou curioso sobre o tema e quer saber mais? Quer implantar em sua empresa, mas não sabe como começar? Embarque conosco nessa leitura e garanta dicas objetivas e valiosas para construir mais uma vantagem competitiva em seu negócio! Vamos lá!

O que são os relatórios gerenciais e por que usá-los?

São documentos gerados a partir de dados da organização, visando reproduzir informações relevantes para o gestor, em seu processo de tomada de decisão. O conceito é de que não seja apenas um conglomerado de números, e sim um documento organizado, didático, de fácil leitura e compreensão. A ferramenta propicia:

  • situação da empresa sempre atualizada;
  • informações organizadas e de fácil manejo;
  • suporte na tomada de decisões;
  • leitura adequada dos resultados.

Os relatórios gerenciais promovem transparência e disseminam aprendizado dentro de uma organização. Com isso, os funcionários que têm acesso a eles tornam-se mais engajados e trazem contribuições relevantes ao negócio. Além disso, para seus clientes e fornecedores, esse exercício é sinônimo de uma administração equilibrada, que promove a cultura de boas práticas.

Quais os tipos de relatório?

Cada setor da empresa deve ter, ao menos, um bom relatório. Vejamos, a seguir, exemplos indispensáveis a qualquer negócio.

  • Relatório de clientes: deve conter o comportamento da carteira de clientes. Dados relevantes acerca do faturamento, participação por segmento, ticket médio, margem de contribuição etc;
  • Fluxo de caixa: envolve toda a vida financeira da empresa. Contas a pagar, a receber, impostos a recolher, possibilidade de investimentos e o acompanhamento completo do orçamento;
  • Estoques: é peça fundamental no andamento das operações. Informações com giro de estoque, inventário, compras a realizar, contratos e parcerias a rever/firmar;
  • Gestão de pessoas: relaciona-se ao gerenciamento interno. Satisfação dos colaboradores, turnover, custo com contratação e treinamento;
  • Produção: está ligado aos dados técnicos. Custo por unidade, produção por turno, desempenho por linha produtiva etc.

Como obter um bom relatório?

Um passo importantíssimo na confecção dos relatórios gerenciais é garantir que todos os dados sejam registrados. Logo abaixo, relacionamos os principais atributos que devem estar presentes em um bom relatório. Confira!

  • Informações atualizadas: não é recomendável analisar o mercado com dados de 20 anos atrás. Eles podem até ser parcela do relatório, no entanto, é necessário trabalhar com dados em tempo real;
  • Informações confiáveis: o caderninho de bolso ainda é muito utilizado. Mas podemos pautar uma decisão de fluxo de caixa a partir de uma anotação manual de meses posteriores? O registro deve ter origem assegurada;
  • Informações claras e objetivas: a diferença entre fechar uma boa venda e perdê-la pode ser a informação objetiva em mãos, rapidamente — afinal, como diz o ditado, “tempo é dinheiro”;
  • Informações relevantes: não há tempo para dados sem importância. A leitura do relatório precisar ser decisiva, sem distrações de dados sem valor.

Uma boa prática é utilizar dados históricos internos, mas também se apropriar de dados externos. Hoje, temos softwares que aglutinam as informações, trazendo boas garantias.

Como utilizar as informações na tomada de decisão?

A análise dos relatórios gerenciais e suas informações é fundamental. Por meio deles, é possível acompanhar o desempenho e notar em qual atividade intervir, de modo a facilitar no momento de tomar decisões importantes — o que poderá ser feito com a segurança de quem tem a empresa na mão.

Com tantas informações precisas, fica difícil errar na hora de tomar decisões, não é mesmo? Uma dica importante é cruzar os diversos relatórios gerenciais para gerar novos dados. Com isso, sua tarefa fica ainda mais completa!

Gostou do artigo? Então compartilhe-o em suas redes sociais para que outras pessoas tenham acesso a este conteúdo!

Comentários(0)

Deixe um Comentário