Você provavelmente já sabe a importância de calcular a taxa de depreciação de equipamentos, certo?

No mundo empresarial, a palavra “depreciação” se refere à perda de valor de um bem pelo seu tempo de uso. Ou seja, se você adquire um bem em 2018, em 2020 ele naturalmente terá um valor de mercado menor.

Mas como calcular essa mudança de valor? Ao longo deste texto, vamos ensiná-lo a calcular a taxa de depreciação sem maiores problemas!

Taxa anual de depreciação

A primeira coisa a entender sobre esse assunto é a taxa anual de depreciação de um bem. Essa taxa é fixada em função do prazo durante o qual se possa esperar utilização econômica de um bem.

As taxas de depreciação são fixadas por meio de Instrução Normativa da Secretaria da Receita Federal (SRF). É importante catalogar os ativos de sua empresa e deixar estabelecida a taxa de depreciação de cada um.

A taxa anual varia de acordo com a natureza do bem material, e as principais aplicadas são:

  • Edificações (4%);
  • Instalações (10%);
  • Móveis e utensílios (10%);
  • Máquinas e equipamentos (10%);
  • Ferramentas (15%);
  • Veículos (20%);
  • Caminhões (20 a 25%);
  • Equipamentos de informática (20%);
  • Equipamentos de comunicação (20%).

Calculando a depreciação de equipamentos

O método mais usado para calcular a depreciação de equipamentos é o linear. Esse método apresenta uma fórmula simples: Da = (VN-VR) ÷ N.

Parece complicado? É mais fácil do que parece. Vamos começar definindo as variáveis. VN e VR significam, respectivamente, Valor Novo e Valor Residual, enquanto N é a vida útil em número de anos.

Vamos imaginar que a sua empresa acaba de adquirir uma máquina por R$200.000, com vida útil estimada de 5 anos e valor residual de 10%.

Considerando que 10% de 200.000 é 20.000, encaixamos os elementos na fórmula e chegamos ao resultado de 36.000. Portanto, a depreciação é de R$36.000/ano.

Com essa informação, deduzimos 36.000 de 200.000 e chegamos a conclusão de que, um ano após a compra, a máquina valerá R$164.000. Ao fim do segundo ano, valerá R$128.000, e assim sucessivamente.

O artigo 57 da lei 4.506/64

Esse artigo é muito importante para o empresário que trabalha com bens depreciáveis.

É ela que estabelece que a diminuição do valor do ativo da empresa, causado pelo desgaste do uso, obsolescência natural ou ação da natureza poderá ser computado como custo.

É importante ressaltar que consta na lei que em nenhuma hipótese o montante acumulado das cotas de depreciação poderá ultrapassar o custo de aquisição do bem. Além disso, a cota é dedutível a partir do momento em que o bem é posto em serviço/instalado pela empresa.

Graças a essa lei, torna-se fundamental o cálculo correto da depreciação de equipamentos, já que esse valor poderá ser declarado como custo no imposto de renda.

Se sente mais seguro para calcular a depreciação de equipamentos em sua empresa? É importante lembrar também que existem ferramentas que auxiliam no cálculo e tornam sua tarefa mais fácil.

Tenha sempre em mente o valor de depreciação de seus ativos, e use o cálculo para planejar bem a logística de sua empresa e evitar surpresas. Por fim, busque conhecer a lei para evitar confusões e gastos desnecessários.

Restou alguma dúvida? Entre em contato com a Ótimo Gestor agora mesmo! Estamos aqui para ajudar!