A prática de locação de equipamentos já é muito utilizada na Europa e nos Estados Unidos. Agora, está ganhando espaço no Brasil. Os motivos são claros: a modalidade exige menor investimento e permite a redução de custos, além de trazer comodidade e praticidade ao cliente. Para se obter sucesso no ramo de locação de equipamentos, é preciso prestar atenção aos detalhes, principalmente no contrato e na hora de reajustar o aluguel. Ao longo do texto vamos dar algumas dicas para você fazer o reajuste do aluguel sem erros.

Vantagens da locação de equipamentos

A crescente prática da locação de equipamentos no Brasil cria uma demanda que precisa ser acompanhada pela oferta. Por isso, cada vez mais, empresas focadas em realizar a locação de equipamento surgem com diferentes ideias e aprimoramentos. 

Uma das grandes vantagens de alugar um equipamento em vez de comprar é a possibilidade de flexibilização para atender a flutuação da demanda. Com o planejamento adequado e o aluguel de equipamentos no período certo, o emprendimento pode intensificar a produção por um período pré definido. 

Outra vantagem dessa prática é a transferência de responsabilidade de manutenção para o fornecedor. Cabe ao locador garantir o perfeito funcionamento do equipamento. Sendo assim, a empresa não precisa lidar com preocupações corriqueiras, como atualizações e consertos. 

Os contratos de locação

Não confie na memória. Deixar tudo registrado e assinado é extremamente importante para evitar problemas organizacionais e legais. Para montar um contrato de locação de confiança, alguns elementos são requisitos básicos. Confira! 

Identificação

No início do documento, identifique claramente o locador e o locatário com nome, endereço, estado civil, idade, RG e outras informações que ache pertinente.

Objeto/Valor

O objeto precisa ser descrito da maneira mais específica possível, evitando confusão. Descreva cor, número de série, características etc. 

Aluguel mensal e reajuste

Indique o valor a ser pago mensalmente pelo locador ao locatário e preestabeleça regras de reajuste. Estipule também a data em que o pagamento deve ser realizado.

Manutenção e prazo de vigência

Descreva as responsabilidades do locador e do locatário para com o equipamento. Estabeleça serviços oferecidos de manutenção e as condições para que sejam feitas. Não deixe de estipular o prazo de vigência do contrato.

Rescisão

É importante estabelecer as condições para uma possível rescisão de contrato. Dessa forma, ambas as partes estão legalmente amparadas. 

Como realizar o reajuste de aluguel

Na maioria dos casos o valor do reajuste é previsto em contrato, geralmente utilizando índices variáveis reconhecidos pelo Governo Federal. Existem três índices que costumam ser usados: IGP-M, IPCA ou INPC

O IGP-M é o índice mais utilizado para calcular o reajuste. Esse índice analisa o Índice por Atacado (IPA), que tem peso de 60%, o Índice de Preços ao Consumidor (IPC), com peso de 30%, e o Índice Nacional de Custo de Construção (INCC), valendo por 10% do IGP-M.

Para facilitar o cálculo do IGP-M existem programas e calculadoras online que realizam o cálculo de forma automática. Para realizar um reajuste de aluguel sem erros, preste bastante atenção aos detalhes do contrato, acompanhe com constância o índice a ser considerado e utilize profissionais preparados. 

Não se esqueça que um contrato bem claro, que aborde o tema do reajuste, torna a relação com o cliente muito mais amigável. Busque ser aberto quanto ao tema e relembre-o do reajuste antes dele acontecer. Assim, é construída uma confiança necessária para esse tipo de transação.

Agora que você sabe um pouco mais sobre os detalhes dos contratos de locação e sua importância, pode realizar o cálculo do reajuste de aluguel sem maiores preocupações. Lembre-se que as informações expostas no contrato devem ser organizadas de forma clara, a fim de facilitar o entendimento do cliente. 

Gostou do nosso post? Ajudou a esclarecer algumas dúvidas? Não deixe de compartilhar em suas redes sociais!