Depreciação acelerada e os impactos para o mercado de locação de equipamentos

Você sabe o que é a depreciação acelerada? 

Esse termo é caracterizado pelo uso de qualquer método de depreciação para fins de contabilidade ou imposto de renda, o qual oferece deduções de despesas maiores nos primeiros anos após a compra de um produto. Ou seja, essa prática é importante para o Planejamento Tributário de uma empresa. O reconhecimento contábil dessa ação pode gerar créditos de PIS e COFINS para que seja tributado pelo Lucro Real.  

A depreciação acelerada se dá quando a empresa contabiliza um valor de desgaste de maquinário acima do usual. 

Muitas vezes, essa prática é utilizada de forma logística para utilizar os valores de depreciação nas apurações fiscais, para que seja maior do que os valores contabilizados. 

Para você entender os impactos da depreciação acelerada da locação de equipamentos, preparamos um passo a passo que vai te explicar:  

  1. O que é depreciação e como ela ajuda financeiramente uma empresa; 
  2. Benefícios fiscais da depreciação acelerada; 
  3. Depreciação acelerada e a locação de equipamentos. 

 

  1. O que é depreciação e como ela ajuda financeiramente uma empresa 

Reconhecer a depreciação dos bens operacionais de um negócio é peça-chave na formação do resultado das empresas, principalmente para aquelas que optam pelo Lucro Real. Esse regime de tributação utiliza o valor de mercado: receita menos despesapara calcular o Imposto de Renda da Pessoa Jurídica (IRPJ) e da Contribuição Social Sobre o Lucro Líquido (CSLL). 

Para empreendedores que se utilizam deste regime, é fundamental ter um controle preciso sobre as rendas e despesas da empresa. Assim, é possível realizar um cálculo mais assertivo do lucro e dos tributos a serem pagos. Logo, se torna de suma importância na determinação de impostos e contribuições que devem ser debitados.  

Um exemplo prático é o dos bens operacionais. Suponhamos que um equipamento de construção civil tem um prazo na vida útil eem decorrência do uso ou da obsolescência, acaba se desgastando. Essa diminuição de valor é reconhecida através da depreciação. 

 

2. Benefícios fiscais da depreciação acelerada 

O valor da depreciação afeta negativamente uma empresa, pois se classifica como uma despesa. Porém, se é um custo negativo como pode ser benéfico para o seu negócio? 

A resposta está nas questões tributárias. É preferível que os débitos da depreciação sejam altos, pois haverá a redução do Imposto de Renda e da Contribuição Social. Por outro lado, deve-se tomar cuidado quando a empresa em questão tem baixa lucratividade. Neste caso, o ideal é que as despesas de depreciação sejam apropriadas e que se prolonguem por um tempo maior. 

Algo que acontece muito na depreciação acelerada de máquinas e equipamentos é a preocupação com o número de horas diárias de operação e como contabilizar os encargos dedutíveis. Isso acontece muito em indústrias, pelo fato de ocorrer acréscimos nos turnos para atender à produção.  

Portanto, a legislação encontrou uma forma de se adequar a essa situação. Assim, a utilização desse método – quando há mais de um turno diário de operação – permite uma contabilização maior de encargos na apuração do resultado tributável. 

Esses pequenos cuidados contábeis podem representar vantagens tributárias significativas, sem a necessidade de utilizar procedimentos complexos. 

 

3. Depreciação acelerada e a locação de equipamentos 

decreto nº 9.580 de 2018: Art. 323, que diz respeito à depreciação de bens do ativo imobilizado em relação aos bens móveis, pode ser adotado, em função dos números de horas diárias de operação, os seguintes coeficientes de depreciação acelerada: 

  • Um turno de oito horas – um inteiro; 
  • Dois turnos de oito horas – um inteiro e cinco décimos;  
  • Três turnos de oito horas – dois inteiros. 

Porém, o que isso quer dizer na prática? Imagine que na sua empresa de rental você tem uma máquina que foi adquirida por R$20 mil. Este será o valor constado ao longo da vida útil que é estimada em 5 anos. Sendo assim, a taxa de depreciação será de 20% ao ano.  

A cada ano, a despesa com a depreciação será de R$4 mil, valor este que será acumulado. O que significa que, no ano seguinte, a depreciação será de R$8 mil. Isso exemplifica que, no último ano da vida útil, o seu equipamento estará totalmente depreciado. Por exemplo, um gerador adquirido por 20mil será depreciado no mesmo valor ao fim de 5 anos e o valor contábil será zero. 

O IRPJ e o CSLL, em sua apuração, acrescentarão 30% àqueles 20% que mencionamos antes. O gerador de sua empresa terá uma taxa de depreciação de 50% ao ano. Se sua empresa registra uma despesa de 20% e a depreciação fiscal 50%, a diferença de 30% será excluída do Lucro Real do negócio (base do Cálculo de IRPJ e CSLL)fazendo com que ele diminua. A cada ano, esse mesmo processo será repetido, até o final da vida útil da máquina. 

No fim, nada mais é do que uma maneira de investir e fazer com que a empresa fique negativa pela falta de uso de um equipamento. Quando utilizada de forma adequada, a depreciação acelerada aquece o fluxo de caixa da sua empresa de locação no momento da aquisição de novas máquinas. 

Se você chegou até o fim do artigo, conseguiu entender o que envolve a depreciação acelerada e como ela se encaixa para que sua empresa não perca dinheiro e consiga economizar em questões tributárias.  

A ÓTIMO GESTOR oferece um ERP completo de gestão, com funções que auxiliam no controle do negócio. Dessa forma, a gestão consegue atingir os objetivos desejados e te ajuda a gerir a parte financeira da empresa de maneira mais consciente e assertiva.  

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Abrir chat
Precisa de ajuda?
Olá!
Como podemos te ajudar?