5 ciladas na hora de precificar o seu equipamento

A precificação é a definição um valorquantificável para a venda ou aluguel de produtos ou serviços. Por isso, é um dos maiores desafios do empreendedorismo. Este processo vai além de estipular preços com base na concorrência. É por este motivo que estamos suscetíveis a cair em algumas ciladas na hora de precificar os equipamentos para locação. 

Para que você possa realizar uma precificação coerente ao mercado e satisfazer seus consumidores, é preciso ficar atento com alguns erros que possam surgir. Portanto, listamos as 5 ciladas que você deve ficar de olho na hora de realizar a precificação dos seus equipamentos de locação: 

  1. Não considerar todos os custos na hora de precificar

O erro mais comum – e que pode ser fatal na precificação – é a falha na hora de considerar os custos. Frequentemente, os equipamentos são precificados de acordo com o valor de mercado ou pela dedução. Ou seja, não são estimados os custos fixos que são gastos durante o processo de locação. 

Deve-se precificar levando em consideração o preço pelo qual o maquinário foi adquirido, o transporte para levá-lo até o cliente, a mão de obra para fazer a manutenção e o período de aluguel. 

Além dos custos mencionados, também é necessário realizar o cálculo de depreciação. Ou seja, a perda gradual do valor do equipamento ao longo dos anos por causa da diminuição de sua vida útil. 

2. Conceder descontos sem planejamento 

Os descontos são uma estratégia para atrair clientes em potencial e fidelizar os existentes. Entretanto, isso deve ser planejado e analisado cuidadosamente, pois caso o contrário seja feito, essa ação pode ser prejudicial ao seu negócio. 

Por exemplo, um desconto concedido somente às sextas-feiras pode fazer com que os seus clientes decidam comprar apenas nesta data. A empresa poderá ter prejuízo por cada unidade vendida, uma vez que não conseguira um número suficiente nos outros dias da semana para competir com as vendas de sexta. 

Uma boa estratégia é conceder descontos caso haja alguma ação que reduza o custo do seu negócio. 

3. Não refletir o valor real do produto 

Muitos baseiam os preços em comparação aos concorrentes, porém esse é um ato imprudente. Qualquer valor que é aplicado sobre um produto – ou serviço – deve ser feito um estudo prévio e sólido. Este inclui, ainda, o valor que os concorrentes pagam aos seus fornecedores ou quanto eles investem em tecnologias, por exemplo. 

Essa análise não é algo tão complexo! Basta apenas ser organizado e calculista. Tenha uma planilha com todos os custos fixos enumerados. Assim como a margem de lucro, os eventuais descontos e entre outros. Dessa forma, na hora de precificar você será mais assertivo e não baseada em uma dedução. 

A análise da precificação é imprescindível para que a sua empresa não caia em ciladas.

4. Aumentar ou diminuir os preços de forma brusca e errada 

Os preços podem se tornar muito voláteis e isso acontece por diversos motivos. Por exemplo, o surgimento de novos equipamentos mais tecnológicos. Caso essas mudanças ocorram de forma brusca, elas podem gerar consequências negativas para a empresa.  

Se você aumentar demais os preços, pode perder clientes para a concorrência. E se houver uma redução exagerada, pode ter o mesmo efeito. Isso porque pode transparecer uma imagem de má qualidade dos equipamentos ofertados, além de culminar na diminuição do faturamento mensal.  

Portanto, é importante tomar cuidado e até ser conservador na hora de aumentar ou diminuir os preços dos maquinários para aluguel. O equilíbrio é a chave para precificar. 

5. Acreditar que o preço é tudo ao precificar

Ao contrário do que muitos acreditam, o preço não é o único fator que mantém a fidelidade dos consumidores. A experiência que o cliente tem com a empresa faz toda a diferença. É fundamental a criação de um ambiente agradável e que dê todo o suporte para ele.  

Aposte na estratégia de branding, a gestão da marcaPor meio de ações planejadas e executadas de acordo com a proposta de valor, a sua empresa consegue guiar a percepção que o público-alvo tem de sua marca. Ou seja, é uma maneira de deixar a marca do seu negócio mais valiosa para o consumidor.  

Faça com que o consumidor tenha uma empatia pela sua marca. Crie uma relação mais próxima a eles. Dessa forma, você também consegue colocar essa boa experiência como um dos fatores inclusos no preço. 

Se você chegou até o final desse texto, pode notar os erros mais comuns que um empreendedor é passível de cometer. Por isso, a ÓTIMO GESTOR oferece um ERP completo de gestão que te auxilia nessas questões de grande impacto no seu negócio. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Abrir chat
Precisa de ajuda?
Olá!
Como podemos te ajudar?